Av. da Saudade, 535, sala 80.

Jd. Bongiovanni - Presidente Prudente - SP

Para marcar Consultas, Constelação e outras informações envie um Whatssapp para (21) 98123-5403

© 2018 Todos os Direitos Reservados - Daniela Ervolino

  • Instagram ícone social
  • LinkedIn ícone social
  • Google+ ícone social
  • Facebook ícone social
  • Spotify ícone social
  • SoundCloud ícone social
  • Twitter ícone social
  • Vimeo ícone social
  • YouTube ícone social

Constelação Familiar:

A Constelação Familiar é um método fenomenológico criado pelo alemão Bert Hellinger, que foi padre e missionário na África por mais de 20 anos, onde trabalhou e observou as tribos zulus e seus comportamentos familiares. Após este período na África, Hellinger deixou de ser padre e dedicou-se a estudos sobre o comportamento e a psique humana, estudou psicanálise, análise transacional, terapia primal etc., até que chegou na técnica das Constelações. 

Hellinger observou que quando um fato forte traumático ocorre dentro de uma família, tal como: suicídio, morte prematura, morte violenta, abandono, falência etc., se pesquisarmos o passado desta mesma família, encontraremos o mesmo fato traumático repetido no passado. É como popularmente se diz "maldição de família", ou mesmo em muitas religiões esta observação também está presente, na vida real, sempre cito um exemplo claro que todo mundo conhece, onde essa repetição pode ser observada, o caso da Família Kennedy. 

É como algo mais forte, ainda que não tenhamos conhecimento do fato ou mesmo que se tente fugir dele, é um ciclo que se repete através de um emaranhado energético onde estão enredados todos os pertencentes àquele sistema familiar. Isso é trabalhado na Constelação, com a finalidade de suavizar estes emaranhados, devolver ao passado o que é dele, honrar nossos antepassados e proteger nossos descendentes. 

A Constelação Familiar não considera a pessoa como um indivíduo único, solto no mundo, ela considera o indivíduo como pertencente a um sistema do qual ele veio, o sistema familiar. Ainda que a pessoa não conheça sua família de origem, ela traz consigo não só os traços físicos, traços de temperamento, dons, como também a bagagem energética pertencente à família, ou seja, não adianta fugir ou negar o sistema familiar do qual pertencemos, ele está em nós, faz parte de nós. 

E quando isso é negado, reprimido ou excluído, é justamente aí que se fazer representar. Isso pode ser observado em muitos casos, inclusive nos casos de adoção mal sucedidos, onde se esconde da criança que ela é adotada, ou onde se reprime que ela fale ou saiba do seu passado, nesses casos, a criança é geralmente bem cuidada e criada, mas de alguma forma, procura ambientes de drogas, roubo, prostituição e fugas de casa, representando o sistema familiar original reprimido. 

Outro fato importante observado por Hellinger e objeto de trabalho da Constelação, são as famílias trianguladas, ou seja, famílias onde o filho assume lugar de pai, a mãe de filha, o pai de filho, ou o filho do genitor faltante etc., qualquer hierarquia familiar que esteja trocada causa extremo peso psicológico sobre os envolvidos, pois é como se a pessoa tivesse que "dar conta" do seu próprio papel e do papel do outro e isso pesa, aumentando a infelicidade do indivíduo e o desequilíbrio familiar. Isso é corrigido pela Constelação de forma simbólica e com uma grande tomada de consciência que geralmente reflete quase imediatamente na vida real. 

A Constelação pode ser feita individualmente ou em grupo, obtendo-se o mesmo resultado nas duas formas, porém a de grupo é mais profunda, como se imaginássemos uma cebola, por exemplo, a individual trabalhará nas camadas mais superficiais da mesma cebola, enquanto a de grupo iria nas camadas mais profundas. 

Por volta de 2005 ouvi falar em Constelação familiar pela primeira vez, se trata de uma técnica alemã e eu estava próxima da Alemanha, ouvir sobre este trabalho era algo complicado de se entender... por mais que pessoas confiáveis dissessem com convicção que “funcionava mesmo”, era uma prática difícil de se imaginar, diziam que parecia até certo ponto com o psicodrama, porém, se diferenciava porque as pessoas não encenavam, elas sentiam de verdade os papéis que representavam, mesmo que não soubessem efetivamente das histórias daqueles personagens, diziam que sentiam sensações, emoções de forma muito nítida e marcante.

 

Eu, Psicóloga junguiana, desde 2001... me interessei, mas também duvidei muito do que se tratava aquilo que me descreviam com tanto entusiasmo.

 

Em 2009 tive a oportunidade de conhecer de perto e de participar de uma constelação... minhas palavras ao fim do processo foram: “Isso tem que ser repassado ao maior número de pessoas possível!, é fantástico!”, meses depois me tornei aluna do Curso de Formação de Constelação Familiar Sistêmica por quase 2 anos em Brasília.

 

Estava feito... me tornei mais uma entusiasta da Constelação e uma Consteladora.

 

Essa técnica que é capaz de romper padrões destrutivos profundos, que é capaz de operar de forma tão cirúrgica e eficaz tantos bloqueios, mal entendidos, que economiza muitas vezes anos de terapia e que é capaz de dar um rumo totalmente novo numa proposta terapêutica, considera que o indivíduo não é um ser livre e simplesmente produto do meio, ele traz consigo uma bagagem emocional, que pertence a sua família, e isso não é uma escolha.

 

Ainda que não goste da própria família, ou não conviva com ela, ou mesmo nem mesmo a conheça, trazemos traços físicos, dons, temperamento, escolhas e muitas vezes destinos ligados aos dos nossos familiares, ainda que distantes, isso pode ter um preço alto dentro da realidade, e esse é um dos pontos fundamentais onde a constelação atua.

 

Outro ponto, são as inversões de papéis, as conhecidas famílias trianguladas, onde os membros estão ocupando os lugares de outros, filho no lugar do pai, mãe no lugar da filha... isso é muito comum e pesa sobre os envolvidos que encontram dificuldades em seguir com equilíbrio na vida, os pactos inconscientes que fazemos ainda pequenos, por amor e que travam nossa vida adulta em diversos campos sem que tenhamos consciência, como por exemplo, financeiro, amoroso, profissional ...

 

Todos esses conceitos que ficam se reproduzindo nas famílias, assim o seguem por gerações, porque vibram no inconsciente familiar, que não tem noção de tempo e traz a tona tudo o que foi excluído e não visto no sistema familiar a tona novamente, até que seja visto e dado um lugar a isso na estória daquela família.

 

A constelação não só traz a consciência o que está submerso, mas também a possibilidade de reorganizar o indivíduo dentro de seu sistema, deixando com respeito os padrões inseguros e nocivos, e se sentindo pertencente de forma ordenada, ainda que tome um caminho diferente.

 

Eu convido você a beber desta fonte e entender um pouco mais através deste VÍDEO, onde explico em 1 minuto sobre essa Técnica maravilhosa , essa ferramenta que foi um divisor de águas em minha própria vida para o seu benefício e de todas as pessoas que estão buscando uma vida mais leve e consciente.

 

Um pouco da minha experiência com a Constelação Familiar Sistêmica: